O VERBO(sermões)

João 1:1

INTRODUÇÃO:

Este texto pode ser ensinado de várias formas, repetindo quase os mesmos assuntos vistos em outras mensagens. No entanto é importante repetir e frisar diferenças que pode haver nas interpretações. Aqui trataremos de três fatos preciosíssimos acerca do Verbo.

1. O VERBO É ETERNO

“No princípio era o Verbo.”

Marcos começa o seu evangelho com Abraão.

 Lucas vai até Adão.

Gênesis inicia com a criação de tudo.

 Mas João nos leva até antes da criação, quando o Verbo estava no seio do Pai (João1:1, 18), antes de existir nosso universo.

“No princípio criou Deus os céus e a terra”, refere-se a um ato; “No princípio era o Verbo” fala de uma existência antes de haver a criação.

O Verbo – é o que é para Deus o que a palavra do homem é ao homem mesmo, a manifestação ou expressão de si mesmo aos que estão fora dele. João 17:5, 24 “E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse./ Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me hás amado antes da fundação do mundo.”

Não era a eternidade “do Pai”, mas sim a de uma existência pessoal consciente distinta dele e associada com ele.

Não era o companheirismo distinto de outro ser como se houvesse mais de um Deus, mas de Um que era Deus mesmo.

Antes do tempo: Apocalipse 1:8; “Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso.” 21:6; 22:13; João 17:24. Esta idéia da preexistência eterna do Filho de Deus não é uma especulação metafísica do apóstolo, mas uma verdade bíblica claramente ensinada em todo o NT.

2. É PESSOA DISTINTA DO PAI

“E o Verbo estava com Deus.” O Deus verdadeiro é Um só, mas não é um Deus solitário. Sua existência é eterna, mas Sua comunhão também é. Essa comunhão não é entre Deus e outro Deus, mas dentro de um só Ser.

Tem existência pessoal conscientemente distinta do Pai, mas inseparável dele e associado com ele João 1:18 “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o fez conhecer.” João 17:5; I João 1:2.

3. O VERBO É DIVINO

Cristo não se tornou Deus, era Deus. Justamente como Cristo não foi redimido para redimir o mundo, assim não foi criado para criar o universo. Colossenses 1:16-17 “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele./ E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.”

Aqui também temos a afirmação categórica que ele é eterno, que ele é Deus, que ele é uma pessoa distinta do Pai. Em substância e essência Deus; possuía divindade essencial e própria.

CONCLUSÃO: Assim cada uma destas afirmações ricas é o complemento da outra, corrigindo qualquer falso conceito que poderia dar uma afirmação isolada.

A mente humana não pode compreender o mistério da Trindade; o crente consagrado, sentindo a sua pequenez, deixa de discutir e começa a adorar. Não que a tentativa de entender seja algo proibido, mas com a nossa limitação é importante a fé na Palavra de Deus, e podemos confiar e adorar o Verbo que se fez carne. Emanuel, Deus conosco. Glorifiquemos, pois a Deus.

Pr.HWRosin. Pregado em: 14/04/94 – Antares (PIB de Urucânia); 17/03/2001 – Barro Vermelho (PIB de Urucânia).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: