BODAS DE PRATA(poesia)

Autor: A. Mazoni Andrade

Ao tomar a tua mão naquele dia

Para impor-lhe a aliança que nos liga,

Senti, no tato doce, esta magia

Singular que até hoje um mim se abriga.

oOo

Sinto-a amorável, tal como a sentia

Naquele instante de emoção antiga;

Deu-me a beber a taça da alegria

E foi, na cruz da estrada, unção amiga.

oOo

Hoje, em bodas de prata, na cadência

Cansada da velhice que começa

Unimos nossas mãos na antiga ardência.

oOo

Enquanto assim sentir a tua mão,

Pode a neve descer sobre a cabeça:

Jamais me atingirá o coração.

Jornal Batista, 28/05/78, p. 12.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: